Dia dos Namorados: Especialista orienta como os casais podem superar a crise conjugal

Sáb, 02 de Junho de 2012 00:00

O número de divórcios no Brasil saltou de1,8% para 3,11%. Em Uberlândia foram mais de 800 só no ano passado


CAMILA RABELO, Uberlândia: Nas vésperas do Dia dos Namorados o amor se torna mais aflorado. Palavras românticas, carinho e presentes para conquistar ainda mais a pessoa amada. Mas os índices demonstram que nem sempre é este clima de paixão que predomina entre os casais. O número de divórcios no Brasil subiu mais de 3% nos últimos dez anos, atingindo o maior índice. No país, segundo dados do IBGE, o índice de pessoas que dizem “não” depois do “sim” no altar, saltou de 1,8% para 3,11%. Não diferentemente do restante dos brasileiros, de acordo com o Registro Civil, em Uberlândia mais de 800 divórcios foram registrados somente no último ano e o número é crescente. Em 2010 a quantidade de uberlandenses que desistiu da relação aumentou 41,8% em relação a 2009.

Segundo a psicóloga especialista em relacionamentos, Poliana Luisa, os índices altos de divórcios são reflexos também das mudanças nas leis, pois muitos casais aproveitaram as novas regras, bem menos burocráticas, para oficializar a separação ou se divorciar no próprio Cartório. Para os casais que não querem entrar nestes índices ela orienta que durante uma crise conjugal, o melhor remédio é dialogar. “Muitos gostam de fazer joguinhos e ficam emburrados, aí mora o perigo, pois não conversam e alguns até dormem separados. Ir cada um para um lado não vai resolver o problema. O melhor é chegar no parceiro e falar o que está incomodando e assim chegarem a um denominador comum. E uma boa sugestão: jamais dormir brigados; a cama é um lugar sagrado, se estiverem brigados não durmam!”, orienta.

Ainda de acordo com a psicóloga muitos casais se desentendem por causa da relação sexual. “Sair da rotina, procurar saber o que o parceiro (a) gosta e agradar sempre. Um jantar romântico, flores ou até mesmo sair do ambiente da casa, tudo isto ajudar a aumentar o apetite sexual. E principalmente quando perceber que a relação não está a mesma do início, procurar conversar e saber o que está faltando, para ambos se sentirem felizes. Tenho certeza que atitudes simples como estas vão diminuir as possibilidades de uma traição”, afirma.

Fonte: http://www.gazetadotriangulo.com.br